Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Entrevista: Pré-candidato a prefeito pelo MDB, Professor Gleivison defende união para “libertar São Sebastião”

Com a proximidade do período eleitoral, o portal Radar Litoral dá início a uma série de entrevistas com os pré-candidatos a prefeito de São Sebastião. O objetivo é dar oportunidade ao eleitor/internauta de conhecer aqueles que desejam administrar o Município e suas propostas.

O primeiro entrevistado é um dos pré-candidatos do MDB, o vereador Professor Gleivison.

Eleito para o primeiro mandato em 2012 com 955 votos, foi reeleito quatro anos depois com 3.183 votos, recorde em São Sebastião.

Gleivison é formado em Letras, pós-graduado em Gramática Normativa, mestre em Educação e Comunicação e recentemente conclui o MBA em Gestão Pública. Há cerca de 20 anos dá aulas nas redes municipal e particular de ensino.

O pré-candidato prega a união das forças políticas que querem mudanças e defende a formação de uma onda “para libertar São Sebastião”.

Confira a íntegra da entrevista

Radar Litoral – Por que o sr é pré-candidato a prefeito de São Sebastião?

Professor Gleivison – Meus cumprimentos a todos que acompanham o excelente trabalho do Radar Litoral. Me apresento como pré-candidato porque não concordo com o que estão fazendo com a cidade. Não vou prometer mudanças, mágicas administrativas. Gostaria que se fizesse diferente em São Sebastião. Esse clima de guerra entre os grupos políticos, esta falta de desenvolvimento real, a Costa Sul continua abandonada, nossos jovens continuam sem uma escola pública bacana, sem ter o que fazer nos finais de semana. Uma cidade que entende que turismo é fazer show, não explora o ecoturismo, o turismo religioso, o turismo de negócios. Foi feito um trabalho forte com a vela, que hoje não vejo acontecer. Gostaria que fosse a São Sebastião real. Gostaria de colocar meu nome à disposição das pessoas para transformar numa cidade que impactasse positivamente na vida das pessoas.

RL – Quando o MDB vai definir o seu pré-candidato a prefeito?

Professor Gleivison – Eu tenho comigo que nas convenções definimos isso. Muita gente fica em dúvida, mas são dois grandes nomes que se apresentaram dentro do mesmo partido. Nas convenções resolvemos isso dentro do partido, sem problemas.

RL – Como está o trabalho de formação de alianças para as eleições e a eventual escolha do vice?

Professor Gleivison – A gente não está encontrando dificuldades, porque as pessoas estão entendendo que o momento é de fazer e olhar diferente para o povo, para as pessoas mais humildes, os sertões da Costa Sul, pra galera que tem mais dificuldade de sobreviver de São Sebastião. O desemprego está altíssimo, mas São Sebastião é um município que poderia estar numa realidade diferente. Não está difícil fazer essa aliança. Uma onda que está crescendo por São Sebastião. O mais importante que eu comento no diálogo com os partidos políticos é que venham para o nosso lado, desde que a missão de todos nós seja a mesma: libertar a cidade e fazer com que evolua de verdade, não uma cidade de faz de conta.

RL – O MDB passou a contar com mais três vereadores (Ernaninho, Pixoxó e Onofre Neto). O sr. foi historicamente oposição ao governo Ernane. O que mudou ao longo desses anos?

Professor Gleivison – A política é dinâmica, é momento. Todas as discussões que tive com o governo Ernane sustento e muitas das denúncias fui eu quem protocolou. A política é instante. Todas as pessoas que também se opuseram ao governo Ernane também estão no governo Felipe Augusto. Estão todos lá, devidamente abraçados. Como eu polarizei muito a discussão com o governo Ernane, eu era a única oposição àquela época e tive o destaque que tive. Todos os problemas do ex-prefeito Ernane e as nossas discussões eram dentro da área administrativa e política. A partir de 2017 houve uma lambança, uma mistura entre o que é político e o que é pessoal. Infelizmente hoje, quando não podem te atingir politicamente, vão na sua honra, na sua família. Isso nós quatro – eu e os vereadores Neto, Ernaninho e Pixoxó – temos em comum. Fomos atingidos, procurados, perseguidos na nossa honra só porque nos atrevemos a denunciar as coisas erradas dentro dessa administração. Talvez isso tenha nos unido também.

RL – O sr. é professor. Em um eventual governo seu a Educação será sua principal bandeira?

Professor Gleivison – Não tenho dúvida disso. Nada mais libertador e transformador como uma escola pública de qualidade.

RL – O sr. acredita que o cenário político será de uma eleição polarizada ou com mais candidatos de oposição?

Professor Gleivison – Quem tem alguma responsabilidade por São Sebastião e não é alienado e vê o que estão fazendo com a nossa cidade. Quem tem alguma preocupação real, verdadeira e sincera com o Município vai entender que o instante é de se unir contra o que estão fazendo em São Sebastião. A gente não pode se comportar se “nem lá, nem cá, vou fazer o meu trabalhinho”. Isso é de uma ingenuidade que vai doer os cotovelos depois. O que a gente tem de fazer é se unir e libertar São Sebastião.

RL – Numa eventual confirmação da sua candidatura, o sr. acredita que o nível de ataques vai aumentar?

Professor Gleivison – Não tenho dúvidas que sim. Eles não têm o que falar da minha vida pública. Eu não enriqueci, não cobrei propina, não fiquei atrás de secretário ou prefeito, não peguei nenhum empresário pela mão e levei na Prefeitura. Nunca fui atrás de prefeito pra pedir alguma coisa pra mim. Minha relação é institucional, em forma de ofício. Essa galera não tem o que falar contra mim na vida pública. Sabemos que em São Sebastião é o “samba do crioulo doido” no dia da eleição. Todo mundo que roubou nesses anos todos sai às compras no dia da eleição. É assim que funciona. Não tive votos comprados. Tenho uma imagem e uma responsabilidade diferenciada. Eu entendo que se a gente tiver em mente que essa é a hora de fazer diferente e provar que a gente pode fazer diferente, não tem como escapar. São Sebastião pode voltar a ser uma cidade legal para todos e não para uma meia dúzia.

RL – Vivemos um movimento de pandemia que assola o Brasil e o mundo. O sr. acredita que será uma eleição diferente por conta disso?

Professor Gleivison – Acredito que sim também. A fatura dessas falcatruas no país inteiro, não é em São Sebastião unicamente, se aproveitando do desespero das pessoas, ainda vai chegar. No auge das eleições o povo vai começar a pagar isso aí. Hoje eu vejo o que os ambulantes estão passando em São Sebastião é humilhante. O que os alunos estão passando.  Nesse instante era para termos a tecnologia a nosso favor para recuperar o que perdemos no ano letivo. São Sebastião não tem uma sala de informática, não tem internet nas escolas e uma biblioteca que ficou fechada esses anos todos. Ou seja, não estamos no século 21 pra compensar esses meses perdidos na Educação.

RL – O sr. está como vereador há pouco mais de oito anos. Quais os seus trabalhos que destacaria?

Professor Gleivison – A gente é o vereador que teve mais proposituras, projetos de lei aprovados. Mas sempre tive a preocupação de projetos de lei que impactassem na vida das pessoas. Posso destacar alguns. Em São Sebastião, não pode ter cargo comissionado que foi condenado pela Lei Maria da Penha ou por casos de pedofilia. A lei que privilegia a mão de obra local é de nossa autoria. A lei de parada segura, que mulheres e pessoas com mobilidade reduzida que, a partir das 22 horas, indicam para o motorista de ônibus onde vão parar. Mais importante do que o número, é a qualidade das leis que aprovamos. Recentemente, conseguimos aprovar por unanimidade, conseguimos aprovar por unanimidade um projeto de lei que agora o excedente da merenda, que ia para o lixo por razões sanitárias e por força de lei, pode ser doado, consumido. Sempre tive a preocupação com projetos que mudassem a vida das pessoas. A lei do 180 de proteção da mulher, com a divulgação do número em locais que vendem bebida alcoólica.

Temos aprovado o projeto que todo dia 27 de setembro a rede municipal de ensino e seus professores de Ciências têm de trabalhar a importância da doação de órgãos para transplante. Porque eu tenho de acreditar numa nova geração mais consciente, mais cidadã e mais solidária.

RL – O que sr. pretende apresentar como proposta para fomentar o emprego na cidade?

Professor Gleivison – Primeiramente, temos de valorizar tudo que é produzido, serviços e empreendedores locais, o nosso ecoturismo, os artistas locais. São Sebastião tem um orçamento generoso que pode olhar diferente para as pessoas daqui. Os artesãos precisam aparecer. Temos artesãos maravilhosos que estão no ostracismo porque não existe um olhar para a coisa local, para os que produzem aqui. Temos de fazer um trabalho para que essa dinheirama toda rode dentro do município.

RL – Obrigado por receber a equipe do Radar Litoral

Professor Gleivison – Eu que agradeço. Meu nome está posto. Se a população entender que vai conosco, penso que participem dessa onde de alguma maneira. Mas a gente precisa se posicionar não por mim, por vocês ou por quem está lendo, mas por um município inteiro. A gente precisa fazer uma onda de solidariedade diferente no Município inteiro.

 

FONTE: https://cutt.ly/cy3ZFaF

Deixe seu comentário: